Home // Gestão adequada e adaptativa do solo e da água em discussão
Gestão adequada e adaptativa do solo e da água em discussão
28 Dez 23 —

Realizou-se no passado dia 14 de dezembro o Evento Agenda Solo, promovido pelo Laboratório Associado CHANGE, em coorganização com o PlanAPP, o INIAV, I. P., e a DGADR, que abordou a importância de uma gestão adequada e adaptativa do Solo e da Água para os objetivos de sustentabilidade, juntando investigadores, técnicos, gestores e decisores políticos.

Neste evento, que contou com a participação de 90 pessoas, destacaram-se questões essenciais como a entrada do recurso solo na agenda das políticas públicas, e a oportunidade trazida pela proposta de diretiva dos solos; o nexus entre o solo e a água para a sua gestão sustentável e a necessidade de mais investigação nessa matéria; o elevado custo da degradação dos solos; o trabalho coordenado de decisores, academia, setor privado e sociedade civil para a formulação de políticas públicas informadas por evidências; o reforço da transferência de conhecimento para os agricultores, proprietários e gestores; e a importância das medidas e indicadores à escala regional e local.

Na abertura, o Secretário de Estado da Agricultura, Gonçalo Rodrigues, abordou as perspetivas para o solo na política pública e a importância da preservação e da gestão sustentável do solo e da água, sobretudo considerando as alterações climáticas. Na sessão final, o Diretor-Geral do GPP, Eduardo Diniz, destacou a renovada centralidade do solo na academia e nas políticas públicas, e questões como o abastecimento alimentar e a transição climática, sendo necessárias respostas locais, baseadas em evidências e dados. A encerrar, o Subdiretor-Geral do PlanAPP, Rui Inácio, reforçou a procura de soluções coordenadas e informadas por evidências para as políticas publicas, e referiu o papel do PlanAPP na institucionalização da interface entre ciência, administração pública, e setor privado e sociedade civil – de que é exemplo o projeto Solo e Água 2030, apresentado no evento).

Luis Sanchez-Alvarez (Missão Solo, DG-AGRI) destacou a Estratégia Solo UE 2030 (e proposta de diretiva do solo) e a Missão Solo (A soil deal for Europe) que prevê 100 living labs e lighthouses para trazer soluções de uso do solo a proprietários/gestores de terras. Referiu a falta de investigação em temas como o nexus entre água e solo. O keynote speaker Martin Kováč (ex-Secretário de Estado do Ministério da Agricultura e do Desenvolvimento Rural da Eslováquia) discutiu a abordagem do nexus entre solo, água e clima, e do solo como banco de carbono e água, que impulsionou políticas integradas na Eslováquia, incluindo medidas de adaptação e gestão para maior retenção da água no solo, de financiamento e de literacia, e um sistema de certificação para proprietários/gestores que cumpram com padrões de estabilidade ecológica e climática.

A sessão contou ainda com intervenções de Nuno Marques (Herdade da Parreira / BOVICER) sobre o solo e a exploração agrícola, de José Paulo Sousa (CFE, Universidade de Coimbra) sobre perspetivas regionais, de Carlos Guerra (Projeto Solo, Horizonte Europa) sobre a Missão Solo, e de Teresa Pinto Correia (Presidente do CHANGE) que apresentou o projeto Solo e Água 2030 – Antecipar Estratégias Integradoras para Mitigação e Adaptação às Alterações Climáticas nos Recursos Água e Solo. Os comentários ficaram a cargo de Mário de Carvalho (MED & CHANGE, Universidade de Évora), Cláudia Gonçalves (CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal), Lídia Martins (CCDR Centro) e Filipa Vala (PlanAPP).

Consulte a síntese de intervenções.

 

Loading...